terça-feira, 13 de março de 2012

O perigo da carne vermelha

Quem resiste a tentação de um bife suculento ou há um belo espeto de churrasco? Entregar-se as estes prazeres com frequência aumentam o risco de doenças do coração e câncer. Há tempos venho acompanhando a preocupação dos estudiosos com relação ao consumo de carne vermelha e o aparecimento de doenças cardiovasculares e cancerígenas. O alimento virou foco de estudos que indicam que o abuso em seu consumo aumentam o risco dessas doenças. Saiu hoje (13/03/2012) esta matéria na revista veja. Achei muito interessante e estou compartilhando com vocês aqui no blog. Lembre-se que o excesso de carne vermelha prejudica. Nada como uma alimentação saudável e sem excessos.   

Alimentação

Consumir carne vermelha aumenta em até 20% os riscos de morte prematura

Probabilidade é maior com o consumo de uma porção de carne processada ao dia

Carne vermelha: reduzir consumo do alimento, além de substituí-lo por outros, 
como peixes e aves, diminui mortalidade precoce (Thinkstock) 

A carne vermelha não é saudável. Já se sabe. Mas pesquisadores não param de constatar argumentos contra ela. O mais recente é resultado de uma pesquisa publicada nesta segunda-feira no periódico Archives of Internal Medicine. Segundo o estudo, conduzido na Faculdade de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, o consumo de carne vermelha pode aumentar os riscos de morte prematura, além do aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer. Substituir esse alimento por outros, como por peixes e aves, significa diminuir a chance de morte prematura.

Saiba mais

CARNE PROCESSADA
A carne processada é a carne misturada com sal, temperos artificiais e conservantes, como o nitrito de sódio, por exemplo. Esta substância é adicionada a alimentos para fixar cor neles, além de evitar que eles estraguem rapidamente. Presunto, salsicha, linguiça e salame são exemplos de carne vermelha processada. Tanto os conservantes quanto a própria carne processada já foram relacionados por outras pesquisas a diversos problemas de saúde, como com o câncer de pâncreas, por exemplo.
Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores analisaram dados de dois estudos sobre os hábitos alimentares de 37.698 homens e 83.644 mulheres durante 28 anos. Nesse período, foram registradas 23.926 mortes, sendo que 5.910 aconteceram devido a uma doença cardiovascular e 9.464, a algum tipo de câncer.
Os autores do estudo observaram que um maior consumo de carne vermelha foi associado ao aumento do risco de problemas cardiovasculares e casos de câncer. Embora essa chance tenha sido elevada para todos os tipos do alimento, ela foi maior em relação à carne vermelha processada. O mesmo foi identificado em relação a casos de morte prematura decorrentes de problemas de saúde em geral. Os resultados mostraram que comer uma porção de carne vermelha processada ao dia aumenta esse risco em 20%. Esse índice é de 13% para carne não processada.
Substituição saudável— A pesquisa também indicou que, além de comer menos carne vermelha, trocá-la por outros alimentos é capaz de diminuir as chances de morte prematura. Segundo o estudo, essa redução pode ocorrer com a substituição de uma porção de carne vermelha ao dia por uma porção de peixe, ave, frutas secas, legumes e de grãos. "Nós estimamos que 9,3% das mortes registradas no estudo entre os homens e 7,6% das mortes entre as mulheres poderiam ter sido evitadas se os participantes consumissem menos de meia porção de carne vermelha ao dia", afirma a pesquisa. Para os especialistas, comer menos carne vermelha significa reduzir as chances de doenças crônicas e, consequentemente, de mortalidade decorrente de problemas de saúde em geral.
E mais um dado significante: Os riscos de câncer aumentam quando, por exemplo, a carne é submetida a altas temperaturas. No churrasco devemos considerar ainda que pela fumaça do carvão ocorre a liberação de substâncias cancerígenas como o alcatrão e hidrocarbonetos policílicos aromáticos. Sabemos que, por exemplo, no rio grande do sul a incidência de câncer de intestino de 28 vezes maior do que no Amapá, onde o consumo de carne é menor. Enquanto na terra do churrasco a incidência desse tipo de câncer é de 28,5 por 100 mil habitantes, no Amapá é de 1,51 casos por 100 mil. Não falando só em câncer, o índice de infartos e acidentes vascular cerebrais são muito alto em relação às outras regiões do país, onde o consumo de carne é bem menor. O risco de morrer antes da hora é maior. A carne vermelha é muito gordurosa, mesmo que tire a gordura que fica grudada nela, ela em si é muito gorda, o que leva a aumentar os níveis de colesteróis no sangue e provocando o entupimento das artérias. (Guia Brasil Blog)
Postado em 13/03/2012.
Fontes:  Revista Veja - saúde.
           


Um comentário:

  1. É aquela história, até pode comer, mas não em excesso... e principalmente, evitar a carne processada. E o mais importante, não basta só evitar carne vermelha, e sim, manter uma alimentação mais saudável e regrada sempre. O consumo em excesso de carne é só um dos hábitos errados, que associados prejudicam a saúde. ;)

    ResponderExcluir